NOva era– New Age…

Muita gente não sabe o que é essa tal de NOVA ERA.
Muitos acham coisa de loucos que não tem o que Inventar.
Outros acham super legal, na moda…
A nova era é uma teologia ou uma “filosofia de vida” de bem-estar, tolerância universal.

Esta “nova mentalidade” provocará nos seres humanos uma expressão (ou “despertar”) de consciência. Para auxiliar neste processo, algumas psicotécnicas também podem ser empregadas, tais como: 

TarôYogaMeditaçãoMapa AstralGurusEsoterismo, novas culturas, orações, jogo de Búzios, pirâmides, cristais, numerologiaGnoseAcupunturaPacifismo, Rebieth, Channellins, Sincretismo, busca interior, livros ده autoajudamagia, predição, novo pensamento etc. e esta iluminação deverá possibilitar uma vida com menos dificuldades e menos problemas.


É bem longo o assunto e também muito confuso, mas aos poucos a Nova Era entra em nossas vidas pela porta da frente. 
Está na hora de conhecermos as verdades por trás das mentiras que nos contam…. não podemos abraçar tudo o que vem sem saber as origens, por Exemplo:

Você sabia que:
Símbolo da Besta
“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na mão direita ou na testa, para que ninguém possa comprar ou vender , senão aqueles que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, porque é número de homem; e seu número é seiscentos e sessenta e seis”—Apocalipse 13:16-18

Mão chifrada
Usado por artistas ligados a um determinado ritmo músical e seus fãs. Simboliza o louvor em rituais satânicos.

 

Mancha

Usada principalmente em automóveis. É uma gota de sangue em zombaria ao sangue redentor de Jesus. 



Borboleta
A borboleta é o símbolo próprio dos adeptos da nova era ou dos “aquarianos”. Como a lagarta entra no casulo, transforma-se e sai em forma de borboleta, assim a humanidade passa de uma era antiga, transforma-se em todos os sentidos e entra na nova era.



Yin Yang
A representatividade chinesa do macro e microcosmos e das duas energias que regem das duas energias que regem o mundo, yin e yang; o feminino e o masculino; o bem e o mal; a ordem e o caos; – energias opostas que se complementam. A força intrínseca do Universo convertendo-se ora em uma, ora em outra.


Cruz virada para baixo
Usado por grupos de Rock e adeptos da Nova Era. Simboliza zombaria da cruz de Jesus. 





Fita entrelaçada  Sem Fim
Significa a vida entrelaçada, onde há sempre uma continuidade em outras encarnações. Também representa o pacto de sangue entre os nova-erinos, envolvendo pessoas ou organizações. É usado para uma melhor obediência entre os aliados do movimento Nova Era.



Talvez sejam apenas símbolos, mas talvez você pode estar se metendo em negócios obscuros…

Na dúvida: PEÇA SABEDORIA AO ESPÍRITO SANTO!
Advertisements

Um lindo Pôr do Sol

Estava sentada apreciando o pôr do sol.
As cores se misturavam lhe deixando sem ar, quando seu telefone tocou.
Estendeu a mão e com pouca vontade se fez ouvinte.
Do outro lado a pessoa estava agitada e com a voz entrecortada anunciou que a sua mãe havia falecido.
Perdeu o chão. Perdeu os sentidos.
Fazia uma semana que não ligava para sua mãe, mas pelo que sabia, a saúde dela não estava tão ruim.
Pouco importava aquelas cores que mais parecia uma peça sendo pregada à ela.
A imagem de sua mãe com seus braços sempre estendidos não saia da sua mente.
E aqueles pássaros cantando… queria que se calassem.
Aquele aroma das flores que antes lhe alegravam a alma agora tinham cheiro de morte.
Do outro lado uma voz o trouxe de volta a realidade.
A pessoa dava instruções sobre as providencias que deviam ser tomadas, mas ao dizer o nome da sua mãe ela teve um sobressalto.
Aquele não era o nome da sua mãe.
Ao dizer o numero do seu telefone a pessoa do outro lado pediu desculpas.
Havia discado o numero errado.
Que bela peça lhe foi pregada.
Respirou fundo e voltou para o seu belo pôr do sol.
Como tudo estava perfeito e lindo naquele dia.

Conhecendo os instrumentos musicais – Piano

Piano

É um instrumento musical que tem o som produzido quando martelos cobertos por feltro tocam cordas esticadas e presas em uma estrutura de metal ou madeira. Esses martelos são ativados por um teclado, e assim que tocam as cordas se afastam imediatamente. Essas cordas vibram e produzem som. 

O piano é usado tanto para solo como para acompanhamento. 
É muito popular como auxilio para compor. 
Embora não seja portátil e tenham um preço bem alto é versátil e um dos instrumentos musicais mais conhecidos pelo mundo.
Há dois tipos de Piano. 

piano de cauda tem a armação e as cordas colocadas horizontalmente.

Necessita por isso de um grande espaço pois é bastante volumoso. É adequado para salas de concerto com tetos altos e boa acústica. 

 

Existem diversos modelos e tamanhos, entre 1,8 e 3 m de comprimento e 620 kg. 


piano de armário tem a armação e as cordas colocadas verticalmente. A armação pode ser feita em metal ou madeira. Os martelos não beneficiam da fôrça da gravidade.

Pode considerar-se um outro tipo de piano: o piano automático ou pianola. Trata-se de um piano com um dispositivo mecânico que permite premir as teclas numa seqüência marcada num rôlo.

Alguns compositores contemporâneos, como John Cage, Toni Frade e Hermeto Pascoal, inovaram no som do piano ao colocarem objetos no interior da caixa de ressonância ou ao modificarem o mecanismo. A um piano assim alterado chama-se piano preparado.

A Família Real Portuguesa trouxe o piano para o Brasil.

Teclado Pràticamente todos os pianos modernos têm 88 teclas (sete oitavas mais uma têrça menor, desde o lá0 (27,5 Hz) ao dó8 (4186 Hz)). Muitos pianos mais antigos têm 85 teclas (exatamente sete oitavas, desde o lá0 (27,5 Hz) ao lá7 (3520 Hz)). Também existem pianos com 8 oitavas, da marca austríaca Bösendorfer.

As teclas das notas naturais (dó, ré, mi, fá, sol, lá e si) são brancas, e as teclas dos acidentes (dó #, ré #, fá #, sol # e lá # na ordem dos sustenidos e as correspondentes ré b, mi b, sol b, lá b e si b na ordem dos bemóis) são da cor preta.

Todas são feitas em madeira, sendo as pretas revestidas geralmente por ébano e as brancas de marfim ou material plástico.

Pedais
Os pianos têm geralmente dois ou três pedais, sendo sempre o da direita o que permite que as cordas vibrem livremente, dando uma sensação de prolongamento do som. Permite executar uma técnica designada legato, como se o som das notas sucessivas fosse um contínuo.

Compositores como Frédéric Chopin usaram nas suas peças este pedal com bastante freqüência.

O pedal esquerdo é o chamado una corda. Despoleta nos pianos de cauda um mecanismo que desvia mũito ligeiramente a posição dos martelos. Isto faz com que uma nota que habitualmente é executada quando o martelo atinge em simultâneo três cordas soe mais suavemente pois o martelo atinge sòmente duas. O nome una corda parece assim errado, mas nos primeiros pianos, mesmo do inventor Cristofori, o desvio permitia que apênas uma corda fosse percutida. Nos pianos verticais o pedal esquêrdo consegue obter um efeito semelhante ao deslocar os martelos para uma posição de descanso mais próxima das cordas.

O pedal central, chamado de sostenuto possibilita fazer vibrar livremente apênas a(s) nota(s) cujas teclas estão acionadas no momento do acionamento dos pedais. As notas atacadas posteriormente não soarão livremente, interrompendo-se assim que o pianista soltar as teclas. Isso possibilita sustentar algumas notas enquanto as mãos do pianista se encontram livres para tocar outras notas, o que é mũito útil ao realizar, por exemplo, passagens em baixo contínuo. O pedal sostenuto foi o último a ser incrementado ao piano. Atualmente, quase todos os pianos de cauda possuem esse tipo de pedal, enquanto entre pianos verticais ainda há mũitos que não o apresentam. Mũitas peças do século XX requerem o uso desse pedal. Um exemplo é “Catalogue d’Oiseaux”, de Olivier Messiaen.

Em muitos pianos verticais, nos quais o pedal central de sostenuto foi abolido, há no lugar do pedal central um mecanismo de surdina, que serve apenas para abafar o som do instrumento.

Recentemente os chamados pianos elétricos passaram por uma grande evolução. Têm exatamente o mesmo número de teclas do piano acústico e aproximam-se cada vez mais do seu som. Mũitos possuem ainda sons de outros instrumentos musicais, como os teclados eletrônicos. O ‘som’ do piano elétrico é na verdade uma gravação do ‘som autêntico’ de um piano, por isso, cada vez que se toca uma tecla, o ‘som’ é reproduzido em teclas chamadas de ‘sensitivas’, pois simulam a intensidade sonora do piano convencional.


A afinação de um piano
Os afinadores de piano não afinam; desafinam (temperam) de uma maneira controlada.

É de referir que um piano normalmente fica, pelo menos, ligeiramente desafinado quando é transportado ou quando é sujeito a fortes correntes de ar.