A nova geração… LU & TERO com Marcos Botelho

Advertisements

Comendo das migalhas que caem.

MATEUS 15:22

E eis que uma mulher cananéia, que saíra daquelas cercanias, clamou, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada.
Mas ele não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, chegando ao pé dele, rogaram-lhe, dizendo: Despede-a, que vem gritando atrás de nós.
E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.
Então chegou ela, e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me!
Ele, porém, respondendo, disse: Não é bom pegar no pão dos filhos e deitá-lo aos cachorrinhos.
E ela disse: Sim, Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.
Então respondeu Jesus, e disse-lhe: O mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã.

A história da Música- parte 3.

…A musica não é vista como uma ocupação a ser perseguida por si mesma – a arte pela arte em si – simplesmente para o deleite pessoal, mas ela é sempre funcional. Como a música sempre é a expressão de uma cultura, descobrimos que o desenvolvimento da música na Bíblia refletirá os vários estágios de desenvolvimento do povo de Israel.
(a imagem acima de Davi dançando é do famoso pintor francês James Tissot).

 

Encontramos na biblia exemplos de adoração atraves da musica cantada, tocada e também dançada.

1º Em Exôdo 15 vemos que após o povo atravessar o mar vermelho e o exército de faraó ser destruido, todo povo se alegra.
Então Miriã, a profetiza, a irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris e com danças.(VER.20)

2° Em Juízes 11 vemos que após Jefté vencer a batalha, sua filha dançou:
Vindo, pois, Jefté a Mizpá, à sua casa, eis que a sua filha lhe saiu ao encontro com adufes e com danças; e era ela a única filha; não tinha ele outro filho nem filha.(VER.34)

3° Em 1° Samuel 18 vemos  o comportamento de algumas mulheres após Davi derrotar os filisteus.
Sucedeu, porém, que, vindo eles, quando Davi voltava de ferir os filisteus, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, cantando e dançando, com adufes, com alegria, e com instrumentos de música.(VER.6)

4° Chegamos ao momento em que o próprio Davi dança quando enfim consegue levar a arca da aliança até sua cidade:

E Davi saltava com todas as suas forças diante do SENHOR; e estava Davi cingido de um éfode de linho.(VER.14)

E sucedeu que, entrando a arca do SENHOR na cidade de Davi, Mical, a filha de Saul, estava olhando pela janela; e, vendo ao rei Davi, que ia bailando e saltando diante do SENHOR, o desprezou no seu coração.

As danças na Biblia não param por aqui, mas já nos dá uma noção exata de que o povo celebrava suas vitorias e conquistas dançando tambem, porém essas danças de vitorias não são relatadas no NOVO TESTAMENTO.

Usemos a dança para celebrar e nos alegrar diante do nosso Senhor.

Leia mais história da musica parte 2

Na época dos meus pais…

Escrito por Pati Geiger
Na época dos meus pais, os jovens se reuniam todos os sábados. Naquela época, diziam: “Juventude”.
Os meus pais são da época que “louvor” era cantado com hinos do hinário cristão. E eles também são da época que “adoração” era entendida como algo que se presta a Deus, todos os dias, e não apenas no domingo a noite.
Meus pais são da época que nos sábados a tarde, os jovens da igreja se reuniam para visitar orfanatos, hospitais, asilos. Naquela época, doar um pouco do seu tempo para outro, ainda era pouco. Eles precisavam fazer mais.
Perto do Natal, eles iam de casa em casa fazendo serenata, cantando músicas de Natal e falando do amor de Deus para as pessoas que moravam perto da igreja.
Na época dos meus pais, os jovens que tinham carro, ofereciam carona aos que não tinham. Se ofereciam para ir buscar em casa e se comprometiam a levar de volta. Sem fazer cara feia. Eles entendiam que o carro era de Deus, e não deles próprios.
Na época dos meus pais, não havia internet. Os jovens não se comunicavam por e-mail, orkut, twitter, msn e por ai vai. Mas mesmo assim, todos sempre sabiam das programações e todos eram convidados.
Naquela época, eles organizavam acampamentos várias vezes por ano. A maioria participava. Quem não ia, era porque tinha que trabalhar.
No acampamento, todos colaboravam. Não existia essa história de só meninas fazendo o serviço. Todos ajudavam.
A diversão deles, era fazer trilha de noite, ou uma fogueira, um violão, hinos a Deus, testemunhos.
Durante o dia, gincanas, estudos da Palavra.
Naquela época, tanto moças quanto rapazes iam para a piscina com roupas decentes. Os famosos “sunquinis” para as moças, quando não era calção e camiseta. E os meninos, usavam calção.
As roupas descentes não eram apenas na piscina ou no rio. O mesmo comportamento se repetia dentro da igreja ou mesmo fora dela.
Naquela época, as meninas não iam ao culto mostrando o “cofrinho”. Ou, com decote. Nenhuma menina usava mini-saia. Pois entendiam que deveriam não apenas respeitar a casa de Deus, mas também respeitar seus irmãos.
Naquela época, não tinha essa história de “namoricos”. Não tinha essa história de “pegação”.
Meus pais me contam, que ninguém “ficava” pelos cantos. Quem queria namorar, conversava com o pastor, com um missionário ou com o líder. Orava por algum tempo e depois ia conversar com a moça. E a iniciativa sempre era dos rapazes.
Meus pais são da época que, casais lideravam e aconselhavam os jovens. Meu pai me contou que eles tinham uma “diretoria”. Com várias pessoas responsáveis pela “juventude”. A liderança era composta por casais e as vezes por jovens mais velhos.
Nos encontros, eles tinham gincana, estudo, louvor. E depois, saiam para ir na sorveteria. Eles não saiam para assistir filme, ou jogar. Porque preferiam ficar conversando, criando laços, relacionamentos.
Os estudos, eram sempre ministrados por algum membro da igreja. E esporadicamente, um dos jovens compartilhava a Palavra.
Nos retiros (para os jovens de hoje- acampamentos) moças e rapazes eram separados durante o estudo, e assuntos específicos de sexualidade eram tratados.
Algumas coisas não mudaram. Mas muitas coisas mudaram daquela época para os dias de hoje.
Tudo bem, eu entendo, afinal, os tempos mudaram, a sociedade mudou, as pessoas mudaram. Algumas coisas, precisam mudar… mas é engraçado… porque, uma coisa não mudou!!
A Bíblia!
A Bíblia que meus pais estudavam é a mesma que eu e você estudamos. Então, porque alguns conceitos e princípios são mudados?
Não to dizendo que a geração dos meus pai foi perfeita. Pelo contrário, eles eram falhos como eu e você. Como essa geração. Mesmo dentro da igreja, muitos cometeram bobagens.
Mas o que mudou tanto em tão pouco tempo?
Vivemos uma geração que não tem vergonha de falar de sexo na escola, na faculdade, na sorveteria ou nas piadas, mas, que tem vergonha de tratar desse assunto dentro da igreja!
Uma geração que usa um pouco do seu tempo para as coisas de Deus, e já acha que fez muito.
Uma geração que pensa que adoração é música.
Uma geração que não cuida do seu próprio corpo. Do seu próprio e da igreja à qual pertence – o Corpo de Cristo.
Deus não muda! O que Ele quer, não muda! Seu princípios não mudam!
A Sua Palavra não muda!

…Ele salvará o seu povo dos seus pecados.

MATEUS 1:18-25
Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo.

Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente.

E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo;

E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.

Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz;

Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco.

E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher;

E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus.

O filho

João 3:16 – Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Um homem muito rico e seu filho tinham grande paixão pelas artes.
Tinham de tudo em sua coleção. Desde Picasso até Rafael. Muito unidos se sentavam juntos para admirarem as obras de arte.
Por uma fatalidade do destino, o filho daquele homem foi para a guerra. Foi muito valente, mas acabou morrendo na guerra, quando resgatava outro soldado.
O pai recebeu a triste notícia e sofreu profundamente a morte de seu único filho.
Um mês mais tarde, alguém bateu a sua porta.
Era um jovem com uma grande tela em suas mãos e foi logo dizendo ao pai: O senhor não me conhece, mas eu sou o soldado por quem seu filho deu a vida; ele salvou muitas vidas nesse dia e estava me levando a um lugar seguro quando uma bala lhe atravessou o peito, morrendo instantaneamente.
Ele falava muito do senhor e de seu amor pelas artes.
O rapaz estendeu os braços para entregar a tela e disse:
Eu sei que não é muito, e eu também não sou um grande artista, mas sei também que seu filho gostaria que o senhor recebesse isto.
O pai abriu a tela. Era um retrato do seu filho, pintado pelo jovem soldado.
Ele olhou com profunda admiração a maneira com que o soldado havia capturado a personalidade de seu filho na pintura.
O pai estava tão atraído pela expressão dos olhos de seu filho, que seus próprios olhos se encheram de lágrimas.
Ele agradeceu ao jovem soldado, e ofereceu-se para pagar-lhe pela pintura. Não, senhor, eu nunca poderia pagar o que o seu filho fez por mim! Essa pintura é um presente.
O pai colocou a tela á frente de suas grandes obras de arte, e a cada vez que alguém visitava sua casa, ele mostrava o retrato do filho, antes de mostrar sua famosa galeria.
O homem morreu alguns meses mais tarde e se anunciou um leilão de todas as suas obras de arte.
Muita gente importante e influente chegou ao local, no dia e horário marcados, com grandes expectativas de comprar verdadeiras obras de arte.
Em exposição estava o retrato do filho.
O leiloeiro bateu o martelo para dar início ao leilão:
Começaremos o leilão com o retrato O Filho“.
Quem oferece o primeiro lance? Quantos oferecem por este quadro?
Um grande silêncio…
Então ecoou do fundo da sala um grito; queremos ver as pinturas famosas!!! Esqueça-se desta!!!
O leiloeiro insistiu: alguém oferece algo por essa pintura? R$ 100?, r$ 200? Quanto…
Mais uma vez outra voz: não viemos por esta pintura, viemos por Van Gogh, Picasso…Vamos as ofertas de verdade.
Mesmo assim o leiloeiro continuou…
Quem leva ´´O Filho“?
Finalmente alguém se manifestou e disse: eu dou r$ 10 pela pintura.
Era o velho jardineiro da casa.
Sendo um homem muito pobre, esse era o único dinheiro que podia oferecer.
Temos r$ 10! quem dá r$ 20? Gritou o leiloeiro.
As pessoas já estavam irritadas, não queriam a pintura do filho, queriam as que realmente eram valiosas para sua coleção.
Então o leiloeiro bateu o martelo: dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe três…vendido por r$ 10,00 o quadro ´´O Filho“!!!
Agora, vamos começar com a coleção! Gritou um.
O leiloeiro soltou seu martelo e disse:
Sinto muito damas e cavalheiros, mas o leilão chegou ao seu final.
 Mas, e as pinturas?
Perguntaram os interessados.
Eu sinto muito, disse o leiloeiro, quando me chamaram para fazer o leilão, havia um segredo estipulado no testamento do antigo dono.
Não seria permitido revelar esse segredo até esse axato momento.
Somente a pintura ´´O Filho“ seria leiloada; aquele que a comprasse, herdaria absolutamente todas as suas posses, inclusive as famosas pinturas.
O homem que comprou o quadro ´´O Filho“ fica com tudo.
Para você que quer entender o verdadeiro significado dessa história, eu explico:
Deus entregou seu único filho (Jesus Cristo), para morrer numa cruz por mim e por você.
Assim como aquele leiloeiro disse, a mensagem hoje para você é: ´´quem ama ´´O Filho“ tem tudo com o Pai e herdará suas riquezas.
Deus não mente. Ele é perfeito. Suas palavras nos deixam os ensinamentos e as promessas para quem O ama.
Saiba que o pouco com Deus é muito e o muito sem Deus é nada. Saiba que Deus sem você é Deus e você sem Deus é nada.

Ser ou não ser ovelha, eis a questão…

Ser ou não ser ovelha, eis a questão…
As ovelhas comumente se perdem devido a sua própria despreocupação.
Esquecendo tanto o rebanho como o pastor elas perambulam sem destino, tendo na mente nada mais do que a próxima moita de capim.
Não há pensamento em lobos ou profundos precipícios. Como isto espelha acuradamente nossos modos ineptos! Não é que um dia tenhamos a idéia de ser ímpios e então comecemos metodicamente a cumprir nossa ambição.
Estamos meramente tão preocupados com os desejos e circunstâncias presentes que nos tornamos distraídos das conseqüências de nossas escolhas.
Vidas vividas sem propósito tornam-nos peões de nossas paixões e, seja de propósito ou não, encontramo-nos antes que o saibamos, longe de Deus, miseráveis em nosso desamparo e feridos.
Tais ovelhas não representam os orgulhosos e os teimosos, mas os infelizes, aqueles que são rápidos em admitir sua própria estupidez e pecado mas, não obstante, são assim mesmo perdidos.
Jamais queira ser uma ovelha sem rebanho ou sem pastor, uma ovelha não sobrevive sozinha!

“Como um pastor apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos, e os levará no seio; as que amamentam, ele guiará mansamente.” (Isaias 40:11);

 “Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas, e as farei repousar, diz o Senhor Deus. A perdida buscarei, a desgarrada tornarei a trazer, a quebrada ligarei e a enferma fortalecerei…” (Ezequiel 34:15-16).