Sou careta.Drogas,bah!

Quantos de vocês se lembrar desse slogan da Renascer em Cristo?

Eu mesma já tive uma dessas camisetas!

Nossos jovens precisam ter essa frase gravada em seus corações;

Nossos jovens precisam entender que todo tipo de satisfação carnal traz TRISTEZA ao Espírito Santo;

DROGAS não são apenas aquelas químicas que te levam a curtir um “barato loko”;

DROGA é tudo que é sujeira, e pode ser ingerida pela boca, nariz, olhos e ouvidos;

Toda contaminação deste mundo que morto está no maligno é UMA DROGA!

Queira levar uma vida controla da pelo Espírito Santo, e faça desta frase a base da sua vida!!!!!!

SOU CARETA. DROGAS, BAH!

Não me envergonho do Evangelho. Me envergonho de ser evangelico.

Sinto vergonha quando ligo a TV e vejo homens negociando com a fé das pessoas, e saber que do outro lado da tela existem pobres evangélicos aprovando e até contribuindo pra que essa farsa cresça;

Sinto vergonha desse Show onde até itens religiosos são comercializados!

Sinto vergonha dessas pessoas que usam o evangelho pra se promoverem e ganhar dinheiro;

Sinto vergonha das “bandas gospels”.

Sinto vergonha quando entro no ORKUT  de alguns Evangélicos, e percebo irmãozinhos e irmazinhas se oferecendo como moeda de troca.

Sinto vergonha quando encontro na rua velhos conhecidos de ministério e veja a mentira que viveram por tanto tempo.

Sinto vergonha desses “falsos” Missionários e missionárias que jamais saíram da sua cidade pra ganhar alma alguma, mas se dizem “levantados por D_us”.

Sinto vergonha desses Milagreiros que se julgam capacitados a operar milagres, e depois descobrir que mortes foram causas por que pobres irmãos depositaram neles sua fé…e não em Cristo;

Sinto vergonha desses políticos Crentes que mentem e roubam como qualquer um;

Sinto vergonha das campanhas milagrosas da prosperidade, por não vão buscar o Espírito Santo? Se querem ir para o céu, pra que acumular tesouros aqui?

E você, sentiu vergonha?

Bem vindo ao Clube.

Leia mais: Na época dos meus Pais:

As marcas do Amor.

As Marcas de Amor
Um menino tinha uma cicatriz no rosto,
as pessoas de seu colégio não falavam com ele e nem sentavam ao seu lado,
na realidade quando os colegas de seu colégio o viam franziam a testa devido à cicatriz ser muito feia.
Então a turma se reuniu com o professor e foi sugerido que aquele menino da cicatriz não freqüentasse mais o colégio, o professor levou o caso à diretoria do colégio.
A diretoria ouviu e chegou à seguinte conclusão:
Que não poderia tirar o menino do colégio,
e que conversaria com o menino e ele seria o ultimo a entrar em sala de aula,
e o primeiro a sair, desta forma nenhum aluno via o rosto do menino,
a não ser que olhassem para trás.
O professor achou magnífica a idéia da diretoria,
sabia que os alunos não olhariam mais para trás.
Levado ao conhecimento do menino da decisão ele prontamente aceitou a imposição do colégio,
com uma condição:
Que ele compareceria na frente dos alunos em sala de aula,
para dizer o por quê daquela CICATRIZ.
A turma concordou,
e no dia o menino entrou em sala dirigiu-se a frente da sala de aula e começou a relatar:
– Sabe turma eu entendo vocês,

na realidade esta cicatriz é muito feia, mas foi assim que eu a adquiri:
– Minha mãe era muito pobre e para ajudar na alimentação de casa minha mãe passava roupa para fora,
eu tinha por volta de 7 a 8 anos de idade…
A turma estava em silencio atenta a tudo .
O menino continuou: além de mim, haviam mais 3 irmãozinhos, um de 4 anos, outro de 2 anos e uma irmãzinha com apenas alguns dias de vida.
Silêncio total em sala.
-… Foi aí que não sei como,
a nossa casa que era muito simples, feita de madeira começou a pegar fogo, minha mãe correu até o quarto em que estávamos pegou meu irmãozinho de 2 anos no colo, eu e meu outro irmão pelas mãos e nos levou para fora, havia muita fumaça, as paredes que eram de madeira, pegavam fogo e estava muito quente…
Minha mãe colocou-me sentado no chão do lado de fora e disse-me para ficar com eles até ela voltar,
pois minha mãe tinha que voltar para pegar minha irmãzinha que continuava lá dentro da casa em chama.
Só que quando minha mãe tentou entrar na casa em chamas as pessoas que estavam ali,
não deixaram minha mãe buscar minha irmãzinha, eu via minha mãe gritar:
– ” Minha filhinha está lá dentro!”
Vi no rosto de minha mãe o desespero, o horror e ela gritava,
mas aquelas pessoas não deixaram minha mãe buscar minha irmãzinha…
Foi aí que decidi.
Peguei meu irmão de 2 anos que estava em meu colo e o coloquei no colo do meu irmãozinho de 4 anos e disse-lhe que não saísse dali até eu voltar.
Saí de entre as pessoas, sem ser notado e quando perceberam eu já tinha entrado na casa.
Havia muita fumaça, estava muito quente,
mas eu tinha que pegar minha irmãzinha.
Eu sabia o quarto em que ela estava.
Quando cheguei lá ela estava enrolada em um lençol e chorava muito…
Neste momento vi caindo alguma coisa, Então me joguei em cima dela para protegê-la,
e aquela coisa quente encostou-se em meu rosto…
A turma estava quieta atenta ao menino e envergonhada então o menino continuou:
Vocês podem achar esta CICATRIZ feia, mas tem alguém lá em casa que acha linda e todo dia quando chego em casa, ela, a minha irmãzinha me beija porque sabe que é marca de AMOR.
Vários alunos choravam,
sem saberem o que dizerem ou fazerem,
mas o menino foi para o fundo da classe e imovelmente sentou-se.
Há aproximadamente 2010 anos JESUS CRISTO,
adquiriu algumas CICATRIZES em suas mãos, seus pés e sua cabeça.
Essas cicatrizes eram nossas,

mas Ele protegeu-nos e ficoucom todas as nossas CICATRIZES..
Essas também são marcas de AMOR.
Jesus te ama,
não por quem você é,
mas sim pelo que você é,
e para Jesus você é a pessoa mais importante deste mundo.

Pronto socorro para brinquedos.

Quem tem filho sabe a dor de cabeça que um brinquedo quebrado pode causar. Para aliviar esses sintomas e deixar a criançada feliz, muitos pais voltam às lojas e compram bonecas, carrinhos e videogames. Poucas pessoas sabem, porém, que há “hospitais” com peças sobressalentes e técnicos especializados que, por um preço em conta, deixam os brinquedos como novos.

Esses “centros cirúrgicos” são o paraíso para a criançada. Bonecas de todos os tipos espalhadas por prateleiras dividem espaço com bichos de pelúcia, carrinhos e motos elétricas. Em pequenas gavetas, parafusos e engrenagens dos brinquedos são categoricamente organizados – tudo para facilitar a vida dos “cirurgiões”

E a fantasia é ampliada pelos proprietários dessas lojas. No Hospital das Bonecas, Brinquedos e Games, por exemplo, sete ambulâncias estão sempre a postos para “resgatar” carrinhos e bichos de pelúcia com problemas.

Quando chegam à casa do brinquedo “ferido”, funcionários vestidos de enfermeiros colocam o objeto em uma maca e o examinam com estetoscópio. “Fazemos toda uma encenação para as crianças”, diz o empresário e proprietário do hospital, Leandro Primo Capelo, de 54 anos. “A ilusão faz parte da brincadeira”, completa.

O teatro ajuda nos negócios. Em média, 20 mil peças são consertadas por mês por 40 funcionários da empresa – que funciona há 73 anos e tem unidades na Penha, Zona Leste de São Paulo, Itaim Bibi e Brooklin, na região sul da capital paulista.

Valor sentimental

Alguns brinquedos acabam nas oficinas mais pelo valor sentimental que agregam. É o caso da boneca de louça da analista de redes Nazira Assaf, de 43 anos. “Tenho ela há mais de 15 anos. Ganhei de presente do meu marido no início de nosso namoro”, afirma. Ela levou o brinquedo, que está com a perna quebrada, até o Pronto-Socorro das Bonecas, Brinquedos e Eletrônicos, em Osasco, na Grande São Paulo.

Na mesma loja, o pequeno Kauê Augusto Martins, de 3 anos, foi com o pai, o bombeiro Jomar Pereira da Silva, de 47 anos, para pegar de volta seu carrinho de controle remoto vermelho. “Ele estava ansioso para voltar a brincar”, diz Silva, lembrando que o brinquedo foi um dos primeiros que o garoto ganhou. “Estava com saudade”, conta Kauê, contente com o veículo recém-saído da oficina.

Nos 25 anos em que atua no ramo, o empresário Bartolomeu Queiroz de Alencar, de 50 anos, trabalhou com todo tipo de brinquedo. “Antes eram mais engrenagens. Hoje é tudo eletrônico”, afirma. Diariamente, ele recebe entre 15 e 20 peças.

Mesmo com todos os novos tipos de videogames e quinquilharias eletrônicas, bonecas como a de Nazira continuam sendo a maioria das “clientes” de Bartolomeu. Os seis funcionários do empresário são especialistas em dar banho em suas roupinhas e também trocam cabelos, olhos, pernas e outras peças.

Para os funcionários, o trabalho é gratificante. “A alegria da criança quando recebe o brinquedo consertado é a reação mais linda do mundo”, diz o empresário Leonardo Capelo, de 56 anos, proprietário da SOS Brinquedos, loja com três unidades nas zonas Norte e Leste da capital. “Você vê a criança triste entregando o brinquedo. Quando recebe de volta, ela sorri e agradece.”

O resultado é satisfatório também para os clientes. “É muito bom. Vale a pena pois se consegue dar um jeito em brinquedos caros ou sentimentais”, diz a analista de redes.

Serviço:


SOS das Bonecas


Rua Alfredo Pujol, 91, Santana


Tel: (11) 2976-5394


Hospital das Bonecas, Brinquedos e Games


Rua Capitão Avelino Carneiro, 110, Penha


Tel: (11) 2647-7516


Pronto-Socorro das Bonecas, Brinquedos e Eletrônicos


Rua Deputado Emilio C

A história da Música- parte 2.

Já sabemos que a musica existe desde de que o Criador formou o que hoje há.

Agora teremos dois caminhos a seguir para escolher o segundo passo da historia da musica:

O contado pela História e o contado pela Biblia. Irei seguir a biblia para essa segunda parte.

Genesis 4:21 nos conta que da descendencia de Caim nasceu Jubal,filho de Lameque, sete gerações depois de Adão.
Ele inventou a lira (kinnor)e a flauta (ugav).

Já o nome Jubal (yuval = chifre de carneiro) traz em si uma referência ao mais destacado dos instrumentos em Israel, a saber, o shofar (chifre de carneiro).

Jubal tinha um irmão, Tubal-Cain, o qual é conhecido por nós como aquele que fabricava ferramentas de bronze e de ferro.

Tem sido assumido, de forma geral, que ele provavelmente deve ter tentado construir os primeiros instrumentos de metal, tais como a trombeta.

Conforme continuamos na leitura do livro de Gênesis, o capítulo 31:27 relata a história da fuga de Jacó de Labão, e nos apresenta um instrumento adicional, o tamborim.

Ao mesmo tempo, o primeiro conjunto para execução de música na sociedade nos é apresentado: era costume enviar pessoas no caminho, celebrando com a execução de música e com júbilos.

Os instrumentos encontrados até aqui (com exceção da trombeta) eram típicos de um contexto nômade. Eles eram pequenos e portáteis, e fabricados com materiais encontrados facilmente no contexto geográfico e econômico do nomadismo: juncos, peles de animais, madeira, cascos de tartaruga, etc. Eram tocados ou como instrumentos solo ou usados para acompanhar o canto.
Paramos no livro de Genesis e a história de musica está apenas começando.
As primeiras familias habitantes da terra que foram os descendentes de Adão tiveram a necessidade de se expressarem alem do canto, a arte de cantar.
A musica não é vista como uma ocupação a ser perseguida por si mesma – a arte pela arte em si – simplesmente para o deleite pessoal, mas ela é sempre funcional. Como a música sempre é a expressão de uma cultura, descobrimos que o desenvolvimento da música na Bíblia refletirá os vários estágios de desenvolvimento do povo de Israel.